Skip to main content
TEAM LEWIS LEWIS

Por

TEAM LEWIS

Publicado em

Maio 27, 2022

Tags

marketing digital, video, video marketing

O vídeo marketing é uma estratégia de Marketing de Conteúdo que consiste no uso de conteúdos de audiovisual para atrair, converter e reter clientes. Cada marca utiliza os conteúdos adaptados à mensagem e aos objetivos que querem transmitir. Inspire-se com alguns dos melhores exemplos, da tecnologia ao desporto.


Há cada vez mais empresas a investir no vídeo marketing e a obter bons resultados, seja porque ganham mais seguidores, aumentam as vendas ou recebem mais visualizações. Por tudo isso, as estratégias das marcas devem ter por base o que funciona com o seu público-alvo e o que vai ao encontro dos seus objetivos.

Da tecnologia à culinária, passando pelo desporto, séries, influenciadores ou retalho, exploramos seis setores de mercado que mostram que não existe um único caminho a seguir e que, no mundo do vídeo, o céu é o limite. Tome notas.

Tecnologia: GoPro

Começamos com um exemplo muito simples, mas que é uma forma incrível para promover um produto. A GoPro é um dos maiores nomes de câmaras de vídeo e qual é a melhor forma para promovê-las? Vê-las em ação, claro!

Os produtos da marca são as câmaras e há, naturalmente, muitas filmagens a serem captadas pelos clientes. Nesse sentido, a estratégia passou por incentivar a partilha de vídeos feitos com uma GoPro e, posteriormente, republicá-los.

Além da visibilidade, a marca consegue transmitir muito mais confiança aos seguidores. Quem está na dúvida se deve ou não adquirir uma destas câmaras, rapidamente percebe a satisfação dos clientes e a qualidade do produto, tornando-se muito fácil para as pessoas imaginarem-se com uma GoPro.

Se a sua empresa tem algum produto ou serviço que se pode mostrar por si próprio, por que não adoptar uma estratégia em são as pessoas a fazerem o marketing?

Assista a este exemplo da GoPro:

Culinária: Tasty (Buzzfeed)

Se é um foodie ou um aprendiz de cozinha, certamente já se cruzou com um dos vídeos do canal Tasty da Buzzfeed. Encontram-se online desde 2015 e consistem em imagens rápidas de alguém a elaborar uma receita de forma simples e divertida. Rapidamente surgiram em todas as plataformas de redes sociais: Facebook, Instagram, Twitter, Vine, Pinterest, entre outras.

Os vídeos curtos, acelerados e publicados com frequência foram a receita certa para a Tasty. Os espectadores rapidamente deixavam-se envolver no conteúdo, ficando várias horas a assistir aos milhares de vídeos publicados na página.

Nos últimos anos a página atualizou um pouco a sua oferta, indo para além das simples receitas e apresentando conteúdo mais diversificando. No entanto, durante muitos anos manteve este registo e é aqui que pode tirar a sua lição: se está a funcionar, então deixe estar como está. Por vezes, perdemos imenso tempo a tentar criar novas estratégias quando a fórmula que temos atualmente é a certa.

Confie em si e no seu trabalho, tal como o Buzzfeed:

 

Ver esta publicação no Instagram

 

Uma publicação partilhada por Tasty (@buzzfeedtasty)

Desporto: Sporting Clube de Portugal

Agora, um exemplo português e bem conhecido no mundo do desporto nacional: o canal de Youtube do Sporting Clube de Portugal.

Além do canal televisivo, o clube de futebol de Alvalade aposta imenso no conteúdo de vídeo. Para os mais interessados, o podcast ADN de Leão, apresentado por Guilherme Geirinhas, recebe as maiores estrelas do clube e  contabiliza milhares de visualizações no Youtube. Os podcasts são conteúdos áudio que têm vindo a ganhar força no espaço online e, no caso do ADN de Leão, o recurso ao vídeo dá a oportunidade ao público de conhecer melhor os seus ídolos do futebol.

Além deste formato, os adeptos podem também desfrutar dos vídeos backstage que retratam os melhores momentos de um jogo, dentro e fora do campo. Nestes vídeos nota-se um esforço na captação dos melhores momentos e na edição para contar uma história inspiradora só com imagens. Como já referimos anteriormente, os vídeos de coberturas de eventos e os que mostram o “behind-the-scenes” são excelentes para envolver ainda mais o público-alvo.

Veja o exemplo abaixo do canal do Sporting:

Retalho: Patagonia

Para este setor, elegemos a Patagonia como um bom exemplo a seguir pela abordagem que têm ao mundo audiovisual. A estratégia da marca inclui conteúdos de vídeo de longa duração, com a maioria a ter entre 10 e 20 minutos de duração. Por norma, recomenda-se que os vídeos sejam simples e rápidos de consumir, mas isto é a prova de que por vezes as regras podem ser quebradas – no marketing nada é uma certeza, tudo se testa.

No caso da Patagonia, percebe-se que conhece bem o seu público para saber que pode seguir um caminho diferente. No Instagram, a abordagem já difere um pouco, uma vez que a rede social não dá tanto espaço para vídeos tão longos como o Youtube.

Outro ponto diferenciador desta marca é que muitos dos vídeos não são sobre os produtos, acabando por se focar nas questões ambientais, por exemplo, que simboliza os valores e a missão da Patagonia que partilha com o seu público. Eis um exemplo:

Séries Televisivas: Sex Education

Se Sex Education é uma série para Millennials, não podia deixar de ser promovida com o tipo de conteúdo preferido desta geração: o vídeo – e como são criativos a fazê-lo.

Na conta de Instagram do grande êxito da Netflix, vai encontrar diferentes tipos de conteúdo de vídeo, que incluem os recém-chegados reels, e que mostram não só as melhores cenas, mas também entrevistas com os atores da série.

Esta é uma excelente forma de manter a audiência interessada na série, entre temporadas, como forma de não se “esquecer” e de continuar a acompanhar as suas personagens preferidas.

Se o seu objetivo é promover uma série ou um filme, considere selecionar os melhores clipes, torná-los em memes ou lançar perguntas aos seguidores com base nas cenas retratadas. A interação é a chave para manter o público interessado. Ora veja:

Influenciadores: Helena Coelho

Mais um exemplo nacional e desta vez de uma pessoa, sim, porque os influenciadores também são “uma marca” – a Helena Coelho que o diga. E como é que tudo começou? No Youtube, claro.

A influenciadora de Viseu começou com o seu canal homónimo, fazendo mais tarde a transição que praticamente todos os influenciadores digitais fizeram para as restantes redes sociais: Facebook, Instagram e, mais recentemente, o TikTok.

Sendo um livro aberto de dicas de compras, decoração e maquilhagem, no Youtube, onde tem 230 mil subscritores, a Helena Coelho aposta nos vídeos de longa duração e no Instagram publica vídeos mais curtos para os seus 654 mil seguidores.

Se tem uma marca em nome próprio e cuja imagem seja a sua, é uma boa ideia inspirar-se na fórmula de sucesso da Helena. Lembre-se que um dos principais truques é publicar com frequência e quase sempre nos mesmos dias da semana para habituar os seguidores aos horários das publicações.

Gostou destes exemplos? À medida que cada vez mais pessoas e marcas começam a apostar no vídeo e a perceber o potencial que este conteúdo tem para promover os seus produtos e serviços, os exemplos vão-se multiplicando online.

Vídeos curtos? Vídeos longos? Histórias que inspiram? Apresentar apenas o produto? A conclusão é que não existe uma fórmula “one size fits all”, mas se dedicar algum tempo a conhecer o seu público, as tendências e os formatos disponíveis, certamente irá encontrar o tipo de conteúdo certo para si.

Se precisar de uma mãozinha (ou de uma edição de vídeo?), a TEAM LEWIS está sempre aqui para ajudar. Entre em contacto connosco.

Contacte-nos