Skip to main content
LEWIS

Por

Rui Ferreira Pinto

Publicado em

November 20, 2018

Tags

Black Friday, Clientes, Comunicação, Marketing, Relações Públicas, Vendas

Preparação certa e uma boa estratégia de comunicação e vendas, poderá ajudar a ter vantagem comparativamente à concorrência.


A Black Friday é um dos maiores desafios anuais para os profissionais de marketing e relações públicas. Um dia por ano, cada um dos seus concorrentes está a tentar destacar-se e a tentar alcançar os clientes – muitos podem ser o seu público-alvo, ou até os seus clientes.

Nos EUA, cerca de 70% dos consumidores afirmam que pretendem aproveitar os descontos deste dia, e a tendência tem vindo a aumentar de forma gradual também a nível europeu. A competição pela atenção – seja ela digital ou offline – está no auge e é cada vez mais difícil destacar os produtos no meio de todo o ruído. Ter a preparação certa e uma boa estratégia de comunicação e vendas, poderá ajudar a ter vantagem comparativamente à concorrência. Na seguinte lista, 14 membros do Forbes Communications Council – uma organização composta por executivos da área da comunicação e relações públicas – partilham as técnicas mais utilizadas pelas empresas para aumentar as suas vendas em loja durante a Black Friday.

forbes communications council black friday

 

1. Torne as compras em loja numa experiência 5*

Fazer compras online é muito prático e conveniente. Como fazer então, para combater essa conveniência? A solução é tornar a sua loja atraente. Proporcione aos seus clientes uma experiência de compras diferente, oferencendo cadeiras confortáveis para os cônjuges relaxarem enquanto esperam pelo outro. Dependendo do seu negócio, pode até incluir uma TV, sintonizada num canal de notícias ou de desporto. Tenha também à disposição alguns aperitivos, café ou bebidas para os seus clientes. Torne a experiência de compra divertida e única. – Alexi Lambert Leimbach, Xcellimark

 

2. Dê poder ao consumidor

A tecnologia existe para permitir uma experiência emocionante em loja com a ajuda de um smartphone. Imagine que pode localizar os produtos via app ou até escolher diretamente no catálogo e ter os produtos prontos a levar quando chegar ao balcão. Muito poucas lojas no mundo já aderiram a este novo paradigma e criaram uma experiência de compra verdadeiramente conectada e centrada no cliente. É esta a hora de mudar. – Edmond M. Allmond, da Hyperloop Transportation Technologies, Inc

 

3. Ofereça promoções exclusivas em loja

Utilize as redes sociais para destacar promoções exclusivas da Black Friday para quem comprar em loja. No caso de produtos altamente cobiçados, mesmo que estes só estejam disponíveis na loja, a maioria dos consumidores irá deslocar-se até lá para os comprar. Se aumentar as vendas nas lojas é importante, utilize ferramentas de social listening como o Googles Alerts, para descobrir quais são os produtos mais cobiçados no mercado e disponibilize o desconto apenas na loja. – Gabriella Sophia Doucas, Elutions

 

4. Organize eventos dedicados

Uma forma de se manter competitivo com um estabelecimento físico, comparativamente ao comércio eletrónico, é criar uma experiência em loja com recurso a eventos. Por mais conveniente que possam ser as compras online, não há nada como uma grande experiência social para muitos de nós. Aproveite o seu local e organizar vários eventos que atraem cada um dos seus tipos de clientes. – Cynthia Salarizadeh, KCSA Strategic Communications

 

5. Maximize o uso do espaço

Não se limite à disposição tradicional de produtos numa loja com quatro paredes brancas. As lojas físicas precisam utilizar os seus espaços para criar experiências envolventes, capazes de atrair os clientes e proporcionar uma experiência de compra sem “atritos”. É precisamente pela falta de envolvência no processo de compra, que muitos clientes acabam por dar preferência ao comércio eletrónico. – Cameron Conaway, Solace

 

6. Forme uma aliança local

Em Alexandria, na Virgínia (EUA), o Old Town Boutique District foi formado para que as lojas locais pudessem alavancar o poder de uma coligação e trazer mais clientes para os seus estabelecimentos. Em torno de eventos como a Black Friday, existem vendas na calçada, champanhe, presentes para as crianças e guloseimas para os cães. O objetivo é fazer com que as pessoas saiam das suas casas e comprem nas lojas, não online. – Jennifer Mellon, Trustify

loja de roupa

7. Dê aos clientes uma razão para visitar

Aproveite a nostalgia sazonal e combine o digital com o físico. Peça a um artista local para pintar um slogan digno do Instagram na sua parede e incentive os clientes a tirarem (e partilharem) fotos. Crie um #hashtag atrativa e ofereça 10% de desconto nas compras em loja, caso eles partilhem a foto com o hashtag. Não importa o quão dominante seja o comércio eletrónico, as compras online nunca poderão recriar a experiência de visitar uma loja real e criar memórias em família. – Melissa Kandel, pequena palavra estúdio

 

8. Misture o canal físico e digital

Os negociantes devem misturar os seus canais físicos e digitais. Ao fazê-lo, estão não só a criar uma experiência de compra perfeita para os consumidores, mas também a vincular as suas campanhas de marketing físico e digital a causas sociais. Ao sentir que as suas escolhas de compra têm um impacto positivo ao contribuir para erradicar a pobreza ou a fome, promover a paz, etc, os consumidores atribuem um maior significado à sua experiência. – Alex Goryachev, Cisco

 

9. Obtenha algum tempo cara a cara

Numa era em que o digital afasta as pessoas e deixa de promover a interação humana, há que maximizar a maior vantagem de uma loja: o tempo cara a cara com os clientes. Organize eventos na loja para interagir com os clientes num nível mais pessoal. Este tipo de interação vai humanizar a sua marca e por consequência, criar experiências ​​de compra que vão manter os seus clientes fidelizados. – Marija Zivanovic-Smith, Corporação NCR

 

10. Abordar os problemas típicos de compras na loja

Tipicamente, as marcas online dão ênfase aos pontos problemáticos das compras numa loja física: longas filas; problemas de estacionamento e a possibilidade de partilhar o espaço com clientes irritantes. Para competir contra esta má publicidade, as lojas necessitam de ter uma estratégia de comunicação eficaz. É necessário reforçar a ideia de que as compras em loja são mais organizadas e que promovem uma coisa impossível de atingir com as compras online: uma experiência social. – Curtis Sparrer, Bospar

 

11. Faça das compras um evento FOMO

FOMO deriva da expressão inglesa “fear of missing out”, em português “medo de perder”. Um evento FOMO é um tipo de evento que ninguém quer perder e em que a expectativa é elevada. Agora imagina que fazer compras na Black Friday é a coisa mais cool que se pode fazer! Para além dos preços baixos, pense em colocar painéis divertidos em que os consumidores possam tirar selfies, a oferta de brindes especiais ou qualquer coisa que estimule os clientes a tirar fotos e partilhar com os seus amigos. Recompense as pessoas que aparecem na sua loja com algo que mereça uma partilha nas redes sociais! – Jessica Terashima, CallFire Inc.

 

12. Torne o gifting mais fácil com o AI

A maioria das pessoas está desesperada por encontrar presentes de qualidade para os amigos e familiares. Como normalmente não sabem o que comprar, a maioria pesquisa pelas principais ofertas do momento (natal, páscoa, etc) e navegam online até encontrar algo. Ao fazer perguntas aos consumidores sobre a pessoa que vai receber a prenda, poderá oferecer recomendações personalizadas com base nos gostos e preferências individuais. Utilize ferramentas de inteligência artificial para automatizar o processo. – Keith Bendes, Float Hybrid

prendas

13. A bem da comunidade

Associe-se a uma organização sem fins lucrativos local e crie uma campanha. A campanha deve contar uma história, envolver pessoas reais e posicionar a marca em torno dos valores da organização sem fins lucrativos. Uma empresa de vestuário feminino poderia, por exemplo, fazer uma parceria com um abrigo para mulheres. Para incentivar a participação, os clientes que doarem uma peça de roupa podem receber uma promoção para comprar um novo item. Este efeito de “sinto-me bem” não pode ser comprado online. – Monica McCafferty, MCM Strategies LLC

 

14. Dê ênfase à energia da Black Friday

Black Friday é um evento e, como tal, tem uma energia única. O consumidor não pode tirar partido da energia de um evento a partir de casa, isso significa que a Black Friday é talvez o único dia em que o preço e a conveniência – normalmente os pontos fortes do comércio eletrónico – podem não estar em primeiro lugar na mente dos consumidores. As lojas físicas devem assim dar ênfase à atmosfera e à energia do próprio evento da Black Friday, além dos cortes de preços. – Steve Tan, eCommerce Elites Mastermind

 


Adaptado de: Forbes.com

Contacte-nos