Logo Lewis prisma

Por

Stephen Corsi

Publicado em

January 28, 2015

Tags

brainstorm, ideias

Já todos passámos por momentos sem ideias! Talvez por uma data limite próxima para uma campanha de marketing, a necessidade de encontrar ideias novas para ajudar divulgar um novo produto ou, para os designers, a pressão de pensarem em algo criativo para um projeto. O ecrã vazio do computador ou a folha de papel em branco a olhar para nós, obrigam-nos a criar imediatamente algumas ideias novas brilhantes que ajudem a salvar o dia!

Em momentos como este, a troca de ideias / brainstorming (quer seja sozinha ou com a equipa) pode ser uma ajuda no processo criativo e a produzir ideias para resolver o problema em mãos. Qualquer que seja o processo de discussão de ideias que prefira seguir, aqui estão algumas dicas para ajudar a reforçar a criatividade e potencializar o debate de ideias.

 

Brainstorming

Quando discute ideias em equipa, assegure-se de que todos os presentes têm uma voz no processo e participam. De outra forma, um ou dois indivíduos podem dominar a sessão e o grupo pode fixar-se na primeira ideia criada – o que pode não ser a melhor opção.

Uma ótima maneira de começar é iniciar a sessão com todos os participantes a escreverem as suas primeiras ideias individuais e depois partilhem as suas ideias em voz alta de forma sistemática. Por vezes, colocar as ideias numa parede sem os nomes anexados e com todos a votarem nas melhores ajuda a assegurar uma meritocracia de ideias, ao contrário de pressão no grupo para escolher a ideia mais popular (ou frequentemente, a ideia criada pela pessoa mais experiente da sala!). Assim que as ideias forem criadas, o debate pode começar, uma vez que acabou com o problema.

Uma consideração importante para sessões de brainstorming em grupo é a altura do dia. Algumas pessoas são mais criativas no início da manhã, e outras necessitam da tarde ou noite para pensarem nas suas melhores ideias. Uma coisa é certa – debates de ideias à segunda de manhã raramente resultam em produtividade.

 

Encontrar inspiração

São poucas as pessoas que podem criar ideias do nada. Reunir-se e envolver-se com arte e imagens que o inspiram pode ajudar a acelerar o processo de ideias. Revistas, livros de arte, ilustrações ou fotografias devem estar distribuídas pela mesa e devem ser examinadas para ajudar a encontrar inspiração.

Outra área que conduz muitas vezes a ideias inovadoras é rever os dados e o apoio da investigação para o projeto. Ter todos os dados adiantados e examiná-los para oportunidades ou anomalias, pode ajudar a criar formas únicas de potenciar as ideias de forma criativa. Quanto mais transparência conseguir ter (quer seja pesquisa do cliente, improvisando grupos focais ou investigação do que a concorrência está a fazer), irá ajudá-lo a pensar em novas ideias objetivas e relevantes.

 

Jogue em vez de rezar (por ideias)

Existe uma correlação direta entre criatividade e jogos. Basta assistir a qualquer grupo de crianças a jogarem alguma coisa e podemos ver a imaginação deles. Para esse fim, a sua sessão de brainstorming tem objetos como Play-Do, Silly Putty, lápis de cera, marcadores e blocos de desenho à mão. Estar em contacto com objetos e brinquedos traz de volta a criança interior e desencadeia o lado certo do seu cérebro.

Faça jogos de palavras para criar ideias. Escolha palavras aleatórias que capturem a essência do seu objetivo, ou palavras descritivas que incorporem a solução que está a tentar alcançar. Não tenha medo de desafiar os limites e escolher palavras que são exatamente o oposto daquilo que esperava. A linguagem pode ser também a porta de entrada para a criatividade. Enquanto isso, faça questões e desafie o “status quo”. Jogue com cenários de “e se?”. Se ficar bloqueado tente por pontos como: quem, o quê, quando, onde e porquê, para criar mais palavras e ideias. Se fizer isso, pode começar a ver os padrões a surgir. Circule as palavra e temas que estão relacionados, porque podem ser um subtópico que vale a pena explorar.

Não tenha medo de ir demasiado longe com uma grande ideia. Mesmo que ache que é demasiado louco ou dispendioso para lançar no mundo real, a essência pode ser aproveitada para encontrar uma solução tangível e inovadora.

Se depois de algum tempo não sentir as ideias a surgir, faça uma pausa. Ao deixar que as coisas se estabeleçam e voltar mais tarde (horas depois ou até no próximo dia), geralmente uma ideia irá desenvolver-se da semente plantada, na sua mente pela sessão de brainstorming anterior.

 

Utilize os meios corretos

Se precisa de estar em frente a um ecrã de computador para pensar melhor, existem vários recursos que lhe permitem tirar o máximo proveito do debate de ideias. Do mesmo modo, pode colocar ideias ou imagens, que o ajudem na criatividade, numa parede da sala de reunião da sessão de grupo ou num quadro de afixação. Os melhores sites para este objetivo são muaral, o MindNode, e claro o Pinterest.

 

Levar a discussão de ideias mais à frente

Se considera que as sugestões acima não estão a criar ideias boas, existem muito mais abordagens que pode utilizar. Pode tentar brainstorming virtual com o Stormboard, um meio que facilita a troca de ideias online e colaboração (também conhecido como “brain-netting”.) Este método é frequentemente utilizado por programadores em conjunto com outras ferramentas de produtividade como o Skype e o Google Hangouts (para reuniões virtuais), Google Docs e armazenamento na cloud para partilha de ficheiros.

“Rolestorming” é uma forma de discussão de ideias em grupo, onde os membros do grupo assumem as identidades de outras pessoas enquanto debatem as ideias. Isto reduz inibições que muitas pessoas sentem quando lhes pedem para partilharem ideias para um grande público. Também ajuda a que as pessoas produzam ideias que noutra altura poderiam nem considerar.

Atribui-se um papel a cada pessoa do grupo, ou o grupo pode desempenhar o papel em conjunto e depois de acabarem passar para outra função. Os papéis ou as personagens podem ser qualquer pessoa – um cliente, uma celebridade, um principal concorrente, um líder anterior – desde que não seja alguém que esteja atualmente no grupo. Permita a cada pessoa encarar a personagem, pensar no modo como a pessoa vê o mundo, como é a sua personalidade, como resolve os problemas, quais são as suas forças e fraquezas e quais são os seus sentimentos e motivações. Comece então a juntar ideias enquanto está na personagem. Pode encorajar os participantes a utilizarem frases como “a minha personagem gosta…” quando apresentam ideias, uma vez que ajuda a criar a distância que as pessoas podem precisar de sentir para falarem livremente. O facto de apresentarem ideias como “outra pessoa”, liberta a mente e permite ser realmente criativo.

 

Não importa qual a abordagem que use, o importante é sair da caixa e aproveitar o processo criativo. Bom brainstorming!

Contacte-nos