Skip to main content
LEWIS

Por

LEWIS

Publicado em

April 18, 2017

Tags

Artificial Intelligence, campanhas criativas, chatbot, Eric Thain, robótica, webinar

Quando ouve falar em Inteligência Artificial pensa na inferiorização da humanidade a máquinas ou até na nossa extinção? Deixe essa ideia de parte porque a IA já está em todo o lado a resolver problemas para nós! Devido às incríveis possibilidades que esta tecnologia traz tem recebido bastante atenção, inclusive nas áreas do Marketing.


Com a Inteligência Artificial, as empresas conseguem tirar informações e conclusões importantes sobre os dados que recolhem. Sendo a quantidade de dados armazenados grande, permitindo ajudar a analisar os padrões nos comportamentos do consumidor para que seja possível criar conteúdo personalizado e melhorar a experiência do consumidor.

inteligencia artificial cerebro

O que é a Inteligência Artificial?

A Inteligência Artificial é a tecnologia que simula a inteligência humana, e isto só é possível através da ciência que procura estudar e compreender o fenómeno da inteligência e, simultaneamente, no ramo da engenharia que procura construir meios para apoiar a inteligência humana. As duas unidas permitem que máquinas realizem tarefas que, caso fossem realizadas por humanos, seria necessário recorrer ao uso da inteligência.

De uma forma mais simples, o termo de IA refere-se a um mecanismo ou software que faz com que as máquinas imitam os comportamentos humanos, através de algoritmos matemáticos de computação tornam tais comportamentos possíveis.  

No entanto, ainda existe algo que nos diferencia das máquinas, como a criatividade e a capacidade de adaptação.

A maior parte dos exemplos da Inteligência Artificial que ouvimos falar nos dias de hoje são os carros autónomos da Tesla, ou até robôs como a Sophia.

 

Importância da Inteligência Artificial no marketing

Stephen Hawking fez-nos um aviso “O sucesso em criar Inteligência Artificial seria o maior evento na história da humanidade. Infelizmente, também pode ser o último, a menos que aprendamos a evitar seus riscos”.

Existem dois pontos essenciais que transparecem bem a sua importância:

  • A IA atinge uma exatidão através de redes neurais profundas, como por exemplo as interações com a Alexa ou pesquisas do Google, que vão ficando mais precisas à medida que os vamos utilizando. Isto é feito através do Deep Learning, que de forma sucinta, significa que estes sistemas desempenham as suas funções sem que pareçam estar programados e que vão “aprendendo” enquanto são utilizados.
  • A IA não será vendida somente como uma aplicação, mas sim para adicionar inteligência a produtos existentes. Todos os produtos que utilizamos poderão ser melhorados com as suas funcionalidades. Automação, robôs e aparelhos inteligentes podem ser combinados com os dados recolhidos para melhorar e ajudar as nossas vidas em casa ou nos escritórios.

Mas calma, não precisamos de a considerar como uma ameaça (por agora?) pois ainda falta um longo caminho até que a IA consiga substituir um profissional de marketing. Podemos sim, aliar-nos a ela para nos facilitar a vida. Todas as empresas armazenam uma grande quantidade de dados internos, como os dados dos clientes, sistemas de transação, dados da própria empresa e muitos outros. Mas existem também os dados externos, como as notícias, eventos, redes sociais. É necessário conciliar estes dados com os dados de marketing, CRM, redes sociais e muitos outros.

Com a inteligência artificial aliada à criatividade do profissional de marketing é possível criar estratégias únicas, personalizar conteúdos e criar algum compromisso com os clientes.

Já não chega segmentar apenas por dados demográficos, mas sim por dados de comportamento e de compra. Atualmente, o cliente pesquisa pelo produto, vai até a loja física, volta a consultar mais dados sobre o produto via mobile, e ainda poderá ver novamente através do computador. Tipicamente, a finalização da compra só acontece quando o nível de certeza já é elevado.

Como funciona a IA aplicada no Marketing?

Permite analisar o comportamento do consumidor e os padrões de pesquisa, através dos dados das plataformas das redes sociais e dos blogs, ajudando as empresas a entender como os utilizadores e os clientes encontram os seus produtos e serviços.

  • Chatbots

Já se encontram por todo o lado na internet, e servem para auxiliar um visitante num site. Funcionam como uma espécie de assistente que comunica e interage com as pessoas simulando conversas com um processamento de linguagem natural através de aplicativos de mensagens, sites, aplicativos móveis ou por telefone. Assim, vão respondendo a perguntas comuns e melhorando a qualidade das mesmas ao longo do tempo. Isto torna possível personalizar a experiência do utilizador pois recebem uma sensação de estar a falar com uma pessoa real e com consciência.

chatbots

  • Sistemas de recomendação

O Spotify começa a tocar uma música parecida logo a seguir? Amazon, Netflix, Spotify estão sempre a tentar acertar no que gosta? Nem sempre acertam, mas a verdade é que os sistemas de recomendação online utilizados por essas plataformas utilizam dados recolhidos de milhões de utilizadores, e permitem prever músicas ou artigos que o utilizador poderá gostar de acordo com as suas escolhas e preferências conforme decisões anteriores.

  • Criação de conteúdo

O profissional de Marketing tem mais chances de criar conteúdos eficientes, personalizados e que geram valor, se conhecer o seu público. Assim, a IA pode ter muitos benefícios, nomeadamente na vertente de marketing, permitindo prever o comportamento do consumidor. Através do rastreamento online de (praticamente) todos os passos do processo de busca/compra, é possível mapear comportamentos e prever possíveis ações, permitindo assim compreender as pessoas numa base individual.

  • Compreender os consumidores mais profundamente

Com a tecnologia de IA as empresas conseguem analisar uma quantidade maior de dados dos seus utilizadores,  por exemplo entender melhor a forma como pensam, o que sentem sobre as suas marcas em tempo real.

  • Otimizar as campanhas de publicidade digital

A IA consegue explorar uma quantidade de dados enorme, bem como as pesquisas de palavras-chave, perfis nas redes sociais e outros dados que existem online, para criar anúncios digitais mais inteligentes e eficazes.

  • Definição de preços nos produtos

A definição de preços já é uma tarefa complicada e depende de muitos fatores. Errar pode causar uma perda grande de lucros e afetar o desempenhado do negócio no longo prazo. Felizmente, com a IA, já é possível ajudar a definir os preços de forma quase automática, sempre comparando os vários fatores entre si e determinar a melhor estratégia para definir o preço de cada produto ou serviço.

  • E-mail marketing

As marcas estão a utilizar a IA para personalizar as campanhas de marketing por e-mail tendo por base as preferências e comportamentos dos utilizadores. Através da personalização dos produtos ou serviços, vai ser criado um sentimento de proximidade e de lealdade. Por exemplo, consegue-se determinar quais os melhores horários e dias de semana para entrar em contacto com o utilizador, quais os conteúdos que lhe interessam mais, e quais os assuntos que irão gerar mais cliques.

  • Bid Data

Este é um conceito simples, refere-se ao facto de um marketeer agrupar e segmentar grandes conjuntos de dados, mas com o mínimo trabalho manual. Estes dados podem ser usados pelas equipas de marketing para garantir que a mensagem passada é a certa à pessoa certa.

  • Machine Learning

Quando as máquinas têm a capacidade de aprenderem sozinhas a partir de grandes quantidades de dados. Podem ajudar a identificar tendências e a prever efetivamente insights, respostas e reações dos seus utilizadores por ser dinâmico e não requerer intervenção humana.

  • Powerful Solutions

Soluções de inteligência artificial serve para realmente entender o mundo da mesma forma que um ser humano. Isto significa que estas plataformas conseguem identificar conceitos e temas através dos dados, e num espaço de tempo curto. As soluções de inteligência artificial interpretam emoções e comunicação como um ser humano, e assim são capazes de entender o conteúdo de forma aberta, como nas redes sociais, linguagem natural e respostas no email.

Veja um exemplo na prática

Desenvolver um chatbot para uma campanha específica pode, na verdade, contribuir para a interação com a marca e envolver o público-alvo que, de outra forma, não poderia ser alcançado. A Disney fez isso para a promoção do filme de animação Zootopia. Os fãs da Disney poderiam conversar com Judy Hoop, uma das personagens principais do filme. De repente, a Zootopia tornou-se rapidamente interessante.

chatbot judy hoop zootopia

Como a Inteligência Artificial está a ser utilizada noutras áreas

Operadoras de saúde: como assistentes pessoais para lembrar as pessoas do horário para tomar os medicamentos ou simplesmente fazer exercício físico.

Venda a retalho: permite funcionalidades para a venda a retalho virtual, por exemplo as recomendações personalizadas.

Desporto: atualmente a IA já é utilizada para capturar imagens de jogos e fornecer relatórios aos treinadores sobre como organizar o jogo, as estratégias e a otimização das posições.

 

Existem várias opiniões e textos em relação ao potencial da IA, mas o que podemos mesmo realizar com ela enquanto profissionais de comunicação num escritório?

Imagine um chatbot como uma ferramenta de pesquisa ou como o primeiro contacto com o cliente, em vez de um rececionista. Como marketing manager de uma grande marca de consumo, pense no que pode alcançar, como pode melhorar a experiência do consumidor, análises preditivas e marketing direcionado.

Michiel de Ruijter escreveu há mais de três anos sobre o papel da robótica no jornalismo. Claramente identificou vantagens na utilização de robôs. Por exemplo, se tem vários perfis de leitor e garante que escreve sem erros de ortografia, pode ter mensagens automáticas adequadas ao grupo alvo. Bastante útil, mas necessitamos de saber se vale a pena o investimento. Não se distraia pelo conteúdo massivo sobre dispositivos com IA.

Não é para consultores

A nossa conclusão é que existem dois paradigmas na IA: por um lado é necessário perceber se pode utilizar a IA eficazmente no seu escritório. Por outro lado, deve entender se pode aplicar a IA em campanhas executadas com os seus clientes. Enquanto agência, consideramos que utilizar aplicações de IA para nós não será um grande contributo. O contacto individual aumenta a humanidade dos nossos comunicados de imprensa e torna-os mais emocionais – e os clientes gostam mais.

 

Quer saber mais sobre a utilização da Inteligência Artificial? Veja o webinar que Eric Thain, falou recentemente sobre a utilização da IA nas profissões ligadas à comunicação.


Contacte-nos