Rui Pinto

Por

Rui Pinto

Publicado em

Novembro 26, 2018

Tags

Comunicação, Content Marketing, Escrita

Escrever não tem de ser doloroso.


Todos os profissionais de comunicação têm algum medo de escrever artigos para blogs. Para alguns é até preferível passar os dias a lutar com ficheiros excel (ou até ursos!) do que a escrever – mas porquê? Com o marketing de conteúdo a tornar-se cada vez mais importante, a capacidade de escrever um texto “com pés e cabeça” é algo que não vai poder ignorar. Será que o processo de escrita é assim tão complexo?

urso

Escrever não tem de ser doloroso, nem aprender uma série de técnicas de escrita é tão difícil como imagina. Reunimos uma lista de dicas para o ajudar a melhorar significativamente a qualidade da sua escrita em pouco tempo.

Tornar-se um melhor escritor exige prática, mas antes que diga que não tem tempo para isso, sabia que já pratica bastante todos os dias? A sério. Todos os dias ao escrever emails, colocar atualizações nas redes sociais ou a enviar mensagens para o amigos, estamos a passar as ideias para o papel. Para quem trabalha em comunicação a lista torna-se ainda maior, com a escrita de conteúdos ao longo do dia, apresentações, newsletters…a lista de técnicas de comunicação é grande.

O primeiro passa já foi dado: escrever diariamente. A partir de agora basta ganhar consciência do que poderá fazer para dar ao seu texto um pouco mais de estrutura e como aplicar um estilo de conversação.

 

Escreva com estrutura

Não existe problema se utilizar frases sem sentido e/ou desconexas ao escrever um diário. No entanto, se quiser comunicar com outras pessoas, necessitará de trazer alguma ordem a esses pensamentos. Aqui estão algumas dicas que o vão ajudar.

 

1. Seja claro nos conceitos que escreve.

Como diria Albert Einstein: “Se não consegue explicar um conceito a uma criança de seis anos, é porque não o entende realmente.” Antes de começar a escrever, dedique alguns momento a tentar explicar o conceito à criança de 6 anos que vive na sua cabeça (todos temos um certo?). Se a sua escrita tem algum objetivo, pergunte a si mesmo qual deverá ser o resultado esperado. Tenha um propósito defino e claro. Agora aplique-o.

 

2. Se a mensagem for complexa, contorne-a.

Não é necessário ter muita organização de pensamento para compor uma mensagem de texto “normal”, no entanto, se estiver a escrever algo mais complexo, com vários ângulos, perguntas ou solicitações, organize todas as ideias antes de se sentar para escrever. Fazer um esboço, ou mesmo escrever algumas notas rápidas sobre os tópicos que pretende abordar, poderá poupar-lhe imenso tempo no futuro. E por falar em perguntas…

 

3. Antecipe as questões do leitor

Coloque-se no lugar dos seus leitores. Será que têm eles o conhecimento necessário sobre o assunto que irá escrever? Se acha que não, terá de preencher os espaços em branco. No entanto…

 

4. Não explique demasiado

Se tiver tempo para organizar os seus pensamentos com antecedência, será mais fácil manter as coisas simples. A ideia é dar aos leitores o suficiente para que eles entendam o que a querer transmitir, sem que seja necessário sobrecarregá-los com informações triviais. Se achar que está a colocar mais detalhes do que o necessário para passar a mensagem ao seu leitor, pergunte a si mesmo se estes são realmente essenciais. Se não forem, livre-se deles.

 

Cuidado com a escrita

Por vezes escrevemos como falamos, e isso poderá ser um ponto positivo. É a chamada “escrita de conversação”. Surpreendido? Falaremos disso mais abaixo.

Mas atenção! Isso não quer dizer que pode dar largas à imaginação e escrever tudo o que lhe vem à cabeça. A escrita incoerente ou pouco cuidada torna o texto difícil de ler, e pode parecer que não entende tanto assim sobre o assunto que está a escrever. Comece a praticar essas competências para simplificar a sua escrita.

 

5. Vá com calma nas preposições

As preposições tornam a escrita excessivamente longa e complexa. Que revelação!

As preposições não são difíceis de entender, mas o conceito exige algumas explicações. Uma preposição é um termo de ligação entre dois elementos do texto.

Por exemplo: “Os alunos da escola assistiram ao filme do Homem-Aranha”.

Nesta frase temos os elementos: alunos, escola, o verbo assistir, o filme e o Homem-Aranha. Tudo o que resta – as palavras “da”, “ao” e “do” – são preposições. Claro que isto é apenas um simples exemplo. Entre as preposições mais utilizadas temos: a, até, de, desde, entre, para, por, sobre, além de, abaixo de, acima de, etc.

Sempre que utilizar mais que uma preposição por cada 10/15 palavras, tente modificar a frase. Ficará surpreso com o resultado.

Seja esperto ao utilizar as preposições e tente simplificá-las sempre que fizer sentido. A sua escrita irá ganhar muito mais clareza depois disso.

 

6. Elimine as palavras e frases “para encher”

Algumas palavras ou frases surgem nos nossos textos de forma recorrente, no entanto não adicionam nada ao conteúdo. Embora sejam por vezes úteis para adicionar alguma beleza e significado, na maioria das vezes não contribuem para a clareza do conteúdo.

Tem dúvidas? Veja o exemplo.

“Sabia que na verdade pode retirar palavras das suas frases mais complexas?”

Após retirarmos as palavras que não interessam:

“Sabia que pode retirar palavras das frases complexas?”

A compreensão não se perde e mantém-se o sentido da frase.

 

Torne a sua escrita mais conversacional

7. Utilize palavras simples

John Grisham – autor best-seller – afirmou: “Existem três tipos de palavras: (1) palavras que conhecemos; (2) palavras que devemos saber; (3) palavras que ninguém conhece. Esqueça as que estão na terceira categoria e utilize com moderação as da segunda.”

Existe uma diferença entre ter um vocabulário rico e utilizar as bem conhecidas “palavras caras” só para se exibir. A menos que a sua intenção seja escrever poesia, mantenha a sua linguagem simples e direta.

Exemplo: Acredito vivamente que possui as faculdades a capacidade para elaborar escrever um texto pouco complexo simples.

 

8. Escreva o que fala

Quando falar com outra pessoa, grave. Poderá aprender muito sobre a escrita conversacional ao utilizar este truque.

Após a conversa, oiça a gravação e tente passar para o papel alguns minutos do diálogo, palavra por palavra. De seguida, remova algumas das palavras “para encher”, assim como os “aaaaa” e “mmm” nas pausas. E voila! Tem à sua frente um exemplo de escrita conversacional. Utilize este processo de gravação, transcrição e edição do texto e irá aprender muito sobre a sua escrita.

 

9. Mantenha as suas frases simples.

Grandes autores literários podem escrever frases longas e complexas. Porquê? Porque ganharam esse direito. E porque não podemos nós – “comuns mortais” – escrever desta forma? Para começar, porque não estamos a tentar escrever como Tolstoy. Mantenha as suas frases curtas, pouco complexas e fáceis de ler.

Mas atenção. Varie o comprimento das frases para que a sua escrita tenha um bom fluxo.

 

10. Leia em voz alta

E por falar em fluxo, ler o que escreveu em voz alta poderá ajudá-lo a perceber se a sua escrita flui com naturalidade. Se tiver demasiadas paragens, experimente adicionar algumas frases longas para quebrar a monotonia. Se, pelo contrário, encontrar uma frase em que perde demasiado tempo, sem nunca chegar a uma conclusão, então provavelmente encontrou uma frase excessivamente complexa que precisa de ser reescrita.

Ler o trabalho em voz alta funciona sempre!

 

11. Coloque a sua personalidade na escrita

Deixar a sua personalidade brilhar enquanto escreve, é a melhor forma de desenvolver um estilo próprio. Utilize frases e expressões que utilizaria normalmente (dentro do aceitável claro) e, quando apropriado, inclua alguns momento de humor. Em todos os momentos, exceto os mais formais e profissionais, seja genuíno ao escrever.

 

12. Pratique, pratique, pratique!

Em última análise, a forma mais eficiente de melhorar a sua escrita resume-se a um ponto: aprenda quais os seus pontos fracos e foque a sua atenção para eles. Quanto mais praticar, mais irá melhorar as suas capacidades e – eventualmente – irá evitar todas as falhas.

Quanto mais escrever e mais analisar o que escreve, mais irá melhorar.


Contacte-nos